Quarta, 10 de agosto de 2022

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 01/07/2022

'Órfãos das Águas', de Wilson Nogueira, será lançado na Bienal do Livro de SP, neste sábado (2)

Bienal do Livro, em São Paulo, ocorrerá no período de 2 a 10 de julho

'Órfãos das Águas', de Wilson Nogueira, será lançado na Bienal do Livro de SP, neste sábado (2) ‘Órfãos das Águas’, de Wilson Nogueira, será lançado na Bienal do Livro de SP, neste sábado (2) (Reprodução)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A história da amizade entre um menino e um filhote de peixe-boi, ambos órfãos, marca o enredo da produção literária “Órfãos das Águas” que, de forma lúdica, apresenta um importante apelo para a preservação da Amazônia. Um alerta mais atual do que nunca, diante dos problemas enfrentados pela região.

 

A obra do escritor, jornalista e sociólogo amazonense Wilson Nogueira, terá a sua 7ª edição lançada na Bienal do Livro, em São Paulo, evento que ocorrerá no período de 2 a 10 de julho.

 

Esta será a primeira vez que Nogueira participará da Bienal como autor. Ele relata que espera, com a participação, que os temas levantados pela obra ganhem mais visibilidade.

 

“O livro mostra que os ecossistemas estão todos interligados. Nós dependemos uns dos outros. Dependemos dos bichos, da floresta, da água. Precisamos preservar isso, senão, como iremos viver?”, destacou.

 

No livro, durante uma das várias pescarias com o avô, Cate, menino aventureiro e questionador, ouve histórias sobre o peixe-boi, cuja população diminuiu drasticamente, a ponto de ele não acreditar na existência desses animais. Até que conhece Yawê, um filhote de peixe-boi, órfão como ele, e inicia-se, então, uma aventura que mescla realidade e fantasia.

Voltado ao universo infanto juvenil, a obra também aborda o respeito que deve ser atribuído tanto para a ciência quanto para o conhecimento empírico.

 

“É, sobretudo, uma mensagem de inclusão, partindo do princípio que somos dependentes uns dos outros. Não devemos preservar o meio ambiente apenas por uma questão econômica, mas, sim, porque precisamos dele para viver”, reforçou o autor.

 

A primeira edição do livro foi lançada em 1997. Foi editado pela Três Comunicação e Marketing. “É uma obra pela qual temos enorme carinho, porque também marca o início da atuação da Três Comunicação. Tivemos um cuidado especial com a edição, acompanhando passo a passo todo o trabalho. É um livro com temática envolvente e sempre muito atual, chamando a atenção para a preservação da Amazônia”, frisa a jornalista Margareth Queiroz, diretora da Três Comunicação.

 

A produção se juntará a outras cinco publicações que serão lançadas pela editora Valer durante a Bienal do Livro. O evento é organizado pela Câmara Brasileira do Livro e reúne várias editoras, livrarias e distribuidoras brasileiras e estrangeiras. A exposição acontece a cada dois anos, apresentando os lançamentos e títulos em exposição no mercado.

 

Produção literária

Com nove livros publicados, entre obras infantis, acadêmicas e de ficção, o escritor Wilson Nogueira já planeja o lançamento de uma nova produção, ainda neste ano. Trata-se de Teruo – Do outro lado do Sol, que contará a história de um massacre ocorrido no rio Andirá, no Amazonas, em 1956, envolvendo a família Kimura.

Dentre as obras já lançadas pelo escritor, estão Festas Amazônicas: Boi Bumbá, Ciranda e Sairé; Boi-Bumbá: Imaginário e Espetáculo na Amazônia; O Andaluz; e Formosa: A sementinha voadora.

 

Nascido no município de Parintins, Wilson é jornalista, é graduado em Ciências Sociais, mestre e doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia, e pós-doutor em Ciências da Comunicação, pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Sobe Catracas

DOM LEONARDO STEINER, arcebispo de Manaus

Foi escolhido pelo Papa Francisco para ser o primeiro cardeal da região amazônica do Brasil, em defesa da floresta e tribos indígenas

Desce Catracas

WILLIAM FONSECA, prefeito de Oriximiná (PA)

MPPA investiga suposta promoção pessoal do prefeito, que teria 'enfeitado' a cidade durante o Círio de Santo Antonio, com seu slogan de campanha