Sexta, 27 de maio de 2022

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/05/2022

'Tentativa do Ministério da Defesa de interferir nas eleições é preparação de golpe', diz Serafim

Deputado repudia a tentativa das Forças Armadas de colocar em dúvida a segurança das urnas eletrônicas

'Tentativa do Ministério da Defesa de interferir nas eleições é preparação de golpe', diz Serafim Deputado Serafim Corrêa (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) afirmou, na manhã desta quarta-feira (11/5), em discurso na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), que repudia a tentativa das Forças Armadas de colocar em dúvida a segurança das urnas eletrônicas, na esteira do que faz o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL).

 

“Ataques às urnas eletrônicas que partem principalmente do presidente da República merecem o nosso repúdio. As agressões à Justiça Eleitoral, aos ilustres magistrados, merecem o nosso repúdio. E agora, essa postura do Ministério da Defesa de querer se imiscuir (intrometer) na Justiça eleitoral merece o meu repúdio”.

 

Em um documento divulgado na noite de segunda-feira (9), a equipe técnica do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) responde a sete perguntas feitas pelas instituições, classificadas pelo tribunal como "opiniões", e nega a existência de uma "sala escura" de contagem de votos, como acusou o chefe do Executivo.

 

“O Ministério da Defesa, através das três forças – Exército, Marinha, Aeronáutica – tem relevantes serviços prestados à Amazônia, ao Brasil, na defesa das nossas fronteiras, no atendimento das famílias mais carentes ao longo dos rios, mas eles não têm nada a ver com Justiça Eleitoral, eles não têm nada a ver com urna eletrônica, eles não têm que se intrometer nisso assim como a Justiça Eleitoral não tem que se meter no Ministério da Defesa”.

 

Para o líder do PSB no parlamento estadual, Bolsonaro tem ampliado insinuações golpistas, ataques às urnas e recentemente prometeu contratar uma auditoria privada que pode, segundo ele, “complicar” o TSE.

 

“Isto é uma tentativa de golpe, uma preparação de golpe. “Se o resultado da eleição for adverso para mim, então a eleição não valeu”. As coisas não são assim. A eleição tem que valer quando eu ganho e quando eu perco, porque se não for assim, que democracia seria a brasileira? Reitero o meu repúdio a essa intromissão indevida do Ministério da Defesa na questão eleitoral e a minha solidariedade ao Tribunal Superior Eleitoral e a todos os magistrados que fazem as eleições brasileiras serem admiradas em todo o mundo”, concluiu o parlamentar.

Sobe Catracas

GLAUCIVAN SILVA, artista plástico

Foi o vencedor do concurso do Cartaz Oficial do Festival de Parintins 2022

Desce Catracas

JAIR SOUTO, prefeito de Manaquiri (AM)

Grupo de 52 prefeitos, dos 62 chefes de Executivo, esvaziou Associação de Municípios Amazonenses, que ele presidia, e criou outra entidade