Quinta, 30 de junho de 2022

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 18/01/2022

João Pedro vai lançar livro sobre bastidores da política amazonense

Ex-senador expõe testemunhos de acontecimentos marcantes da cidade de Manaus e do Brasil, até agora desconhecidos da maioria da população.

João Pedro vai lançar livro sobre bastidores da política amazonense João Pedro Gonçalves lançará livro de bastidores da política amazonense

MANAUS, AM - O ex-senador João Pedro Gonçalves (PT-AM) vai lançar em março o livro Nossas Utopias (Valer), uma revisita à história contemporânea da esquerda amazonense e brasileira, por meio de episódios vividos por ele  e outras personagens de proa dos movimentos sociais e políticos.

 

O livro já está na fase se revisão gráfica e editorial e deve ser encaminhado à impressão ainda no começo de fevereiro.

 

João Pedro disse que a sua intenção é a de registrar momentos importantes e decisivos que ele viveu como protagonista ou coadjuvante no desenrolar da história política e social do Amazonas nos últimos quarenta anos.

 

A obra está organizada em capítulos que vão desde a sua participação no movimento estudantil, nas décadas de 1970 e 1980, passa pela atuação no parlamento municipal e estadual, até a Caravana da Cidadania  (também conhecida como Caravana das Águas), a viagem de campanha do ex-presidente Lula entre Manaus (AM) e Belém (PA), em 1994.

 

O autor também escolheu ao menos duas dezenas de fotografias que registram os momentos históricos abordados, resultado de pesquisa em seu acervo particular e na imprensa.

 

Em narrativa direta e franca com o leitor, João Pedro, expõe testemunhos de acontecimentos marcantes da cidade de Manaus e do Brasil até agora desconhecidos da maioria da população.

 

Esses podem ser os casos:

  • Da luta contra o regime militar;
  • Das articulações locais e nacionais para a fundação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), no Amazonas;
  • Da primeira greve geral no Distrito Industrial de Manaus;
  • Da aliança entre Gilberto Mestrinho, em 1982, e os partidos de esquerda, então na clandestinidade;
  • Da aluta renhida pela meia passagem de ônibus para os estudantes;
  • Do ataque da Polícia Militar, com tiros de revolveres, à Igreja de Sebastião, que servia de refúgio a militantes de esquerda reprimidos durante manifestação popular, em 1981.
  • Das mobilizações arriscadas do sem-terra e sem-teto contra os latifúndio e a grilagens urbanos e pela socialização da terra e da moradia;
  • Da caravana das águas do então candidato Lula por cidades ribeirinhas do Médio e Baixo Amazonas, em 1994.

 

Para João Pedro, essas revelações podem ajudar na injeção de ânimo pela militância política de esquerda, tão necessária neste momento em que a democracia brasileira está ameaçada.

 

“A juventude precisa conhecer a história, também, por quem a viveu. A história não é monopólio de ninguém. O que eu vivi, eu posso contar com a segurança de quem esteve lá onde os fatos estavam acontecendo”, explica.

 

Ele aproveitou para elogiar o trabalho do núcleo editorial da Valer, que se empenhou na elaboração de um livro atraente, de fácil manuseio e leitura.

 

“São profissionais valorosos e qualificados para apresentar aquilo que escrevemos com técnica e arte”, afirmou.

COM INFORMAÇÕES DO AMAZON AMAZONIA

 

Sobe Catracas

JENDER LOBATO, presidente do boi Caprichoso

Boi Caprichoso sagrou-se campeão do Festival Folclórico de Parintins 2022, vencendo rival por 8 décimos

Desce Catracas

ANTÔNIO ANDRADE, presidente do Boi Garantido

Boi Garantido perde o Festival de Parintins e enfrenta crise com debandada de levantadores