Domingo, 16 de janeiro de 2022

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 23/11/2021

90% dos municípios do interior do AM não alcançaram ainda 50% da cobertura vacinal completa

Vacinação contra Covid-19 em Guajará é de 16%; Codajás 21%; Tabatinga 22%; Barcelos 24%; Nova Olinda 24%; Coari 27%; Rio Preto da Eva 29%; Borba 30%; Manicoré 34%; Manacapuru 37%

90% dos municípios do interior do AM não alcançaram ainda 50% da cobertura vacinal completa Em destaque no mapa, o município de Guajará [de vermelho], com o menor percentual de cobertura vacinal completa (Foto: Divulgação/Google Maps)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM – 90% dos municípios do interior do Amazonas ainda não alcançaram 50% da cobertura vacinal completa. Ou seja, não atingiram ainda a segunda dose da vacina contra a covid-19.

 

É o que informa o Vacinômetro da Fundação de Vigilância em Saúde do Estado (FVS-AM), com boletim da data de ontem (22/11).

 

“A situação do interior é uma das piores do país. A baixa cobertura vacinal escancara um antigo problema: desigualdade no acesso aos serviços de saúde, especialmente de municípios menores, de cidades ribeirinhas. Além, é claro, da falta de pessoal de saúde em número suficiente para fazer chegar vacina a quem precisa”, afirma o doutor em epidemiologia e cientista da Fiocruz Amazônia, Jesem Orellana.

 

Em Guarajá, município do interior que fica a 1.645 quilômetros de Manaus [é a cidade mais longe da capital],  tem apenas 16% de sua cobertura vacinal completa.

 

Em Codajás esses dados chegam a 21%; Atalaia do Norte 21,9%; Tabatinga 22,4%; Nova Olinda do Norte 24,1%; Barcelos 24,9%; Santa Isabel do Rio Negro 25,5%; Novo Airão 26,3%; Coari 27,3%; Rio Preto da Eva 29,4%; Borba 30,9%; Manicoré 34,4%; Manacapuru 37,8%; Autazes 38,2%; Boca do Acre 40,8%; Lábrea 41,3%; Boa Vista do Ramos 41,4; Humaitá 41,8%; Presidente Figueiredo 43,6% e Itacoatiara e Maués com 44,2 %. (Veja aqui o VACINÔMETRO COMPLETO)

 

Só para citar, alguns municípios que ainda estão com menos de 50% da cobertura vacinal completa.

 

“Os municípios com as maiores populações do Estado são justamente os que mais preocupam. Ou seja, onde o vírus tem o potencial de circular com mais força, em comparação aos municípios com menos de 30 mil habitantes, por exemplo”, completa o cientista da Fiocruz.

 

Somente sete municípios já alcançaram mais de 50% da cobertura vacinal completa: Silves 72,3%; Manaus 58,6%; Iranduba 55,2%; Parintins 51,7%; Urucará e Jutaí 50,6% e Tefé com 50,1%.

 

Orellana disse ainda que é necessário que o governo adote novas estratégias para vacinar aqueles que ainda se recusam a tomar as doses contra a Covid.

 

“A medida é ir para o penúltimo dos recursos: oferecer vantagens para a população não vacinada, mas não ingresso de show para aglomerar”, acentua.

 

A liberação do uso de máscara também é preocupante. Na região do Solimões. Em Tabatinga e Benjamin Constant, por exemplo, a população já deixou de usar o equipamento de proteção.

 

Pior aconteceu em Rio Preto da Eva, onde o prefeito Anderson Sousa, por decreto desautorizou o uso de máscara em espaços abertos. Em Rio Preto a cobertura de vacinação completa não atingia nem 30%.

 

O cientista Jesem Orellana também condenou a postura suave e quase passiva da Fundação de Vigilância em Saúde contra essas medidas adotadas pelas prefeituras. “Lavou as mãos”, conclui.

Sobe Catracas

CLEINADO MARINHO, diretor de produção

Dirigiu filme de animação com personagens indígenas em cenário pandêmico, que passa em São Gabriel da Cachoeira, e será lançado no Youtube

Desce Catracas

AGUINALDO MARTINS, ex-prefeito de Manaquiri (AM)

Após dez anos, foi processado pelo MPAM acusado de integrar esquema de emissão de notas frias para fraude no fornecimento de combustíveis, em seu mandato de 2012