Quarta, 27 de outubro de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 08/10/2021

Bi Garcia diz estar disposto ao diálogo, mas reitera que Prefeitura não deve nada ao Padre Colombo

Câmara realizou audiência pública, nesta quinta-feira (7), sobre o fechamento do hospital, administrado pela Diocese, que alega falta de recursos para funcionar

Bi Garcia diz estar disposto ao diálogo, mas reitera que Prefeitura não deve nada ao Padre Colombo Bi Garcia diz estar disposto ao diálogo, mas reitera que a Prefeitura não deve nada ao Padre Colombo (Foto: Yuri Pinheiro)

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O prefeito Bi Garcia, durante audiência pública na Câmara Municipal de Parintins nesta quinta-feira (7/10), reiterou que o município de Parintins está à disposição do Hospital Padre Colombo para caso promova a reabertura da unidade.

 

O prefeito disse que sempre foi a favor do diálogo e buscou, todas as vezes que procurado, soluções para o funcionamento da unidade de saúde. Em seu discurso, Bi Garcia foi enfático em afirmar que o município não deve nada ao Hospital Padre Colombo.

 

No dia 1º de outubro, a direção do hospital, adminsitrado pela Diocese de Parintins, anunciou o fechamento da unidade, alegando falta de recursos. 

 

Na audiência, Garcia lembrou que em 2019 e 2020, a direção do Hospital Padre Colombo recebeu valores a mais do que a contratualização, sendo  R$ 167 mil a mais em 2019, e em 2020 foram R$ 500 mil a mais. "Devolveram 500 mil a mais do ano passado? Não. Devolveram 167 mil de 2019? Não! E não é para devolver para a Prefeitura, para o Governo Federal ou Governo do Estado. É para devolver para a população, em serviços", disse.

Audiência Pública sobre fechamento do hospital, na Câmara de Parintins (Foto: Yuri Pinheiro)

 

O prefeito enfatizou que os recursos são repassados em dia para o Hospital Padre Colombo, sem atraso, seguindo a sua determinação. Garcia repetiu que o aporte entre recursos financeiros, insumos, medicamentos e recursos humanos que Estado e Município repassam ao Hospital Padre Colombo somam mais de um R$ 1,5 milhão.

 

Destes, são R$ 600 mil em recursos financeiros. O prefeito lamentou o comportamento de alguns membros da Diocese de Parintins que estão falando inverdades sobre a relação da Prefeitura e Hospital Padre Colombo.

 

LEIA TAMBÉM___________

Hospital Padre Colombo fecha as portas e Prefeitura de Parintins se propõe a assumir a unidade

Juiz dá 48h para Diocese de Parintins reabrir hospital Padre Colombo

 

Para ilustrar a atuação de parceria da Prefeitura com o hospital, lembrou que foi procurado pelo bispo Dom Giuliano para ceder funcionários para o Padre Colombo e apoiou implantando a neonatologia, inclusive fazendo retornar a Parintins o médico Tarcísio Laime que estava em Barreirinha. 

 

Em outra ocasião que contou com a presença da então procuradora-geral do Amazonas, Leda Mara Albuquerque, afirmou que mais uma vez apoiou o hospital Padre Colombo cedendo funcionários.

 

O gestor disse ainda que, se a direção do Hospital Padre Colombo quiser reabrir o atendimento ao público, está à disposição de ajudar. "Sempre estivemos abertos ao diálogo. E todos os funcionários e médicos que a direção do hospital mandou devolver para a Prefeitura, eles podem retornar. São 52 funcionários e dez médicos pagos com recursos da Prefeitura de Parintins para atender em uma instituição que é prestadora de serviços. Então, sempre estivemos de portas abertas para junto à Diocese trabalhar para atender a população de Parintins", pontuou.

Sobe Catracas

MÁRIO FLÁVIO NOVO JR, designer e empreendedor

Software de gestão para automatizar tarefas nas áreas de gestão fiscal e financeira, criado pelo parintinense, ganha destaque nacional e faz sucesso em bares e restaurantes

Desce Catracas

WILLIAM FONSECA, prefeito de Oriximiná (PA)

Teve o mandato cassado pela Câmara de Vereadores, acusado de contratar 1,5 mil servidores temporários, sem processo seletivo