Quarta, 27 de outubro de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 18/09/2021

Justiça suspende construção do 'puxadinho' de R$ 32 milhões da Câmara de Manaus

Pressionado e temendo uma nova decisão da Justiça, presidente da Casa David Reis aproveitou para cancelar licitação que alugava 41 carros por R$ 11 milhões

Justiça suspende construção do 'puxadinho' de R$ 32 milhões da Câmara de Manaus Presidente da Câmara de Manaus, David Reis (Foto: Reprodução/CMM)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM – O juiz Marcelo da Costa Vieira, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), suspendeu, nesta sexta-feira (17/9), a obra de prédio anexo à sede da Câmara Municipal de Manaus, no valor de R$ 32 milhões, anunciada pelo presidente da Casa, David Reis (Avante). A obra ficou conhecida como “puxadinho”.

 

A determinação atende Ação Popular ajuizada pelos vereadores Rodrigo Guedes (PSC) e Amom Mandel (Sem partido) contra a realização da obra.

 

Na decisão, o magistrado considerou evidente que a construção de um prédio, cujo propósito seria o de acolher 51 vereadores nos próximos 20 anos é, por si só, “uma afronta ao ideal de moralidade administrativa no emprego dos recursos públicos sob responsabilidade do gestor, pois trabalha com um cenário futuro proporcional ao dobro da atual população manauara”.

 

Após a decisão judicial e pressionado pela população, David Reis (Avante), suspendeu a licitação do aluguel de 41 carros modelo pick up, pelo valor de R$ 11 milhões.

 

O valor das licitações somavam R$ 51 milhões. Os carros seriam usados por vereadores para atuação das Comissões Técnicas Permanentes.

 

O aviso da suspensão do Pregão Presencial (nº013/2021) foi publicado no Diário Oficial da Casa, edição desta sexta-feira (17), com a assinatura da própria pregoeira da CMM, Helen Grace Costa Cena.

 

Os gastos exacerbados do presidente da Câmara têm gerado críticas da população nas redes sociais e pressão dos demais parlamentares.

Sobe Catracas

MÁRIO FLÁVIO NOVO JR, designer e empreendedor

Software de gestão para automatizar tarefas nas áreas de gestão fiscal e financeira, criado pelo parintinense, ganha destaque nacional e faz sucesso em bares e restaurantes

Desce Catracas

WILLIAM FONSECA, prefeito de Oriximiná (PA)

Teve o mandato cassado pela Câmara de Vereadores, acusado de contratar 1,5 mil servidores temporários, sem processo seletivo