Sábado, 12 de junho de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 07/05/2021

Almeida na CPI, após declarar que governador adotou 'política de imunidade de rebanho de Bolsonaro'

Pedido de convocação é do senador Humberto Costa; governador do Amazonas disse que declarações do vice-governador são falsas: 'cepa era imprevisível'

Almeida na CPI, após declarar que governador adotou 'política de imunidade de rebanho de Bolsonaro' Vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (Foto: Claudio Heitor/Secom)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O senador Humberto Costa (PT-PE) propôs, ontem (6/5), que o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (sem partido) seja ouvido pela CPI da Covid-19.  Humberto Costa é membro titular da Comissão Parlamentar de Inquérito.

 

A proposta do senador foi feita após entrevista do vice à coluna Painel, da Folha de São Paulo, onde disse que o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) se alinhou ao discurso do presidente Jair Bolsonaro para defender uma política de contaminação para ter imunidade de rebanho do coronavírus, levando Manaus ao colapso na pandemia.

 

Humberto Costa, que foi ministro da Saúde no primeiro governo do ex-presidente Lula, fez uma postagem nesta quinta-feira (6/5), em sua conta do Twitter, sobre o tema, após o vice se colocar a disposição para ir à CPI.

 

“Quando houve envolvimento do governador na operação da Polícia Federal, a estratégia foi mostrar alinhamento com Bolsonaro. Uma coisa era clara, a política era de afirmar que se tinha uma imunidade de rebanho. O que acabou acontecendo foi um laboratório, a P1 encontrou ambiente adequado”, afirmou Carlos Almeida.

 

Rompido com Wilson desde maio de 2020, Almeida acusa ainda o governador de responsabilidade pela crise da falta de oxigênio, quando ocorreram mortes por asfixia em Manaus. 

 

O vice-governador foi também secretário estadual de Saúde e um dos investigados no caso da compra de respiradores. A Polícia Federal não indiciou o vice, sob a alegação de falta de provas, mas a Procuradoria-Geral da República denunciou Almeida por organização criminosa.

 

GOVERNO DO AMAZONAS CONTESTA

Ontem (6) à noite, à Folha, o governador Wilson Lima rebateu as acusações de Carlos Almeida.

 

“Não é hora de politicagem. É hora de trabalhar duro para evitar a perda de vidas humanas e recuperar a economia do Estado do Amazonas, como o governo vem fazendo desde o início da crise”, disse.

 

Em Nota, Wilson afirma que as declarações do vice de que a nova Cepa do vírus surgiu, em consequência do alinhamento com o governo Bolsonaro, são falsas e que o Estado elaborou diversos decretos de restrição e de distanciamento e que a nova variante chegou de 'maneira imprevisível'.

 

O Governo do Amazonas diz que ampliou em 331% a oferta de leitos destinados a pacientes de covid, em Manaus e 340% no interior.

 

“Esses fatos, por si só, já demonstram o quanto são falsas as alegorias de que o governo adotou posições contrárias ao que recomenda a ciência e as instituições de saúde”, argumenta o governador.

Sobe Catracas

RENATO MEDICIS, presidente da Águas de Manaus

Para incentivar vacinação contra a Covid-19, concessionária irá oferecer transporte a todos colaboradores, com mais 40 anos, que forem se vacinar

Desce Catracas

RAIMUNDO FONSECA, ex-presidente da Câmara de Japurá

Tribunal de Contas do Amazonas reprovou as contas dele, referentes a 2015, e aplicou multa de R$ 100 mil