Terça, 18 de maio de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/05/2021

PEC que proíbe contratos entre empresas de políticos e seus parentes não avança na ALE/AM

Comitê de Combate à Corrupção do Amazonas enviou proposta à Assembleia Legislativa no dia 5 de maio de 2020

PEC que proíbe contratos entre empresas de políticos e seus parentes não avança na ALE/AM (Foto: Danilo Mello/Aleam)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O Comitê Amazonas de Combate à Corrupção e Caixa 2 Eleitoral encaminhou à Assembleia Legislativa do Amazonas nesta segunda-feira (3/5), ofício solicitando resposta da proposta de emenda à Constituição do Estado acrescentando ao artigo 104, o parágrafo 6°, que impede a celebração de contratos com empresas de políticos e de seus parentes até segundo grau com a Administração Pública.

 

Proposta foi sugerida no dia 5 maio de 2020, ao Poder Legislativo pelo Comitê.

 

Uma proposta de emenda à constituição precisa de oito assinaturas de deputados para tramitação e de 15 votos para aprovação, em dois turnos.

 

A proposta visa combater a malversação dos recursos públicos por empresas administradas por políticos e seus parentes e se constituir em mais um novo instrumento de combate à corrupção, como medida ética, transparente e de respeito ao cidadão e empresas sérias.

 

Diz o texto da emenda: “§6°. O governador, o vice-governador, os deputados, os prefeitos, os vice-prefeitos, os vereadores, os ocupantes de cargo em comissão ou função de confiança, as pessoas ligadas a qualquer deles por matrimônio ou parentesco, afim ou consanguíneo, até o 2° grau, ou por adoção e os servidores e empregados públicos estaduais e municipais, não poderão contratar com a Administração Pública, subsistindo a proibição até seis meses após findas as respectivas funções.”

VEJA O DOCUMENTO ENVIADO PELO COMITÊ EM 2020:

 

 

 

 

 

Sobe Catracas

DOMINGOS CHALUB, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

TJAM faz história ao ficar acima da 'média Brasil', em relação às Metas Nacionais do CNJ no ano de 2020

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru (AM)

MP/AM abriu um inquérito contra a Prefeitura para investigar suposta apropriação dos valores do Fundo Previdenciário Municipal