Terça, 18 de maio de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 28/04/2021

Zé Ricardo sugere à CPI da Pandemia convocação da Anvisa e de representante da vacina Sputnik V

Anvisa negou esta semana o pedido de autorização excepcional para a importação da  vacina Sputnik V, imunizante contra a Covid-19, produzido na Rússia

Zé Ricardo sugere à CPI da Pandemia convocação da Anvisa e de representante da vacina Sputnik V Zé Ricardo sugere à CPI da Pandemia convocação da Anvisa e de representante da vacina Sputnik V

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA  - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) negou esta semana o pedido de autorização excepcional para a importação da  vacina Sputnik V, imunizante contra a Covid-19, produzido na Rússia. Os técnicos da Agência alegaram que não receberam relatório técnico capaz de comprovar que a vacina atende a padrões de qualidade, além de não terem conseguido localizar o referido relatório com autoridades de países onde a vacina é aplicada. De outro lado, representantes da empresa dizem estar havendo decisões de cunho político.

 

Diante do cenário emergencial para compra de vacinas e de fatos que demonstram o total descontrole e falta de planejamento do Governo Federal, além de explícito desinteresse para imunizar a população brasileira, o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM) encaminhou hoje (28) ofício ao presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz, sugerindo a convocação, em caráter de urgência, do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do representante da vacina Sputnik V, para esclarecimento acerca da recusa na importação do imunizante.

 

“Desde o início da pandemia e a partir da apresentação das vacinas contra a Covid-19, o Governo Federal tem apresentado resistência quanto à aquisição ou mesmo o incentivo à produção dos imunizantes. Até o momento, quase 400 mil brasileiros já morreram nesta pandemia, sendo mais de 12,5 mil somente no Amazonas (um dos estados mais afetados), e outros 14 milhões foram infectados por esse vírus. É urgente vacinar toda a população e adquirir mais vacinas”, declarou Zé Ricardo. 

 

Para piorar a situação, no dia de hoje, a população de Manaus foi surpreendida com a suspensão da aplicação da primeira dose, segundo informado, por determinação do Ministério da Saúde. Para o deputado, essa situação é um atentado contra a saúde pública, já que no atual processo de imunização da população da capital, pouco mais de 18% encontra-se vacinada com a primeira dose, de acordo com os dados de Secretaria Municipal de Saúde. “Um total descontrole e falta de planejamento dos entes federativos. A falta de vacinas já é uma realidade em várias cidades brasileiras e a recusa de importação de um novo imunizante precisa ser esclarecida com urgência”.

 

 De acordo com o parlamentar, algumas situações envolvendo o Governo Federal demonstram a falta de interesse em adquiri ou produzir vacinas para imunizar a população. Em maio de 2020, o Brasil não aderiu ao ACT Accelerator, plataforma de cooperação internacional, envolvendo 40 países, para acelerar o desenvolvimento de vacinas e remédios contra esse vírus; só fez isso em setembro. Já em julho, recusou a compra de doses de vacinas da Coronavac, produzidas pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac. E, em agosto, rejeitou a proposta de venda de 70 milhões de doses de vacina, do laboratório americano Pfizer, alegando cláusulas abusivas do contrato. 

 

“O Governo Bolsonaro contribuiu com as mortes no país e no Estado. Pelo seu negacionismo, incentivou às aglomerações e o não uso de máscaras; não comprou as vacinas em tempo hábil e não realizou campanha de imunização”, finalizou. 

Sobe Catracas

DOMINGOS CHALUB, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

TJAM faz história ao ficar acima da 'média Brasil', em relação às Metas Nacionais do CNJ no ano de 2020

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru (AM)

MP/AM abriu um inquérito contra a Prefeitura para investigar suposta apropriação dos valores do Fundo Previdenciário Municipal