Terça, 18 de maio de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 28/04/2021

Em Operação 'Tamoiotatá', Madeireira é multada em mais de R$ 190 mil em Manicoré

A equipe de fiscalização teve acesso ao local por meio de uma denúncia da Polícia Federal.

Em Operação 'Tamoiotatá', Madeireira é multada em mais de R$ 190 mil em Manicoré A ação ocorreu na terça-feira (27/04) - Divulgação / PMAM

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Em mais um dia de fiscalização pela Operação “Tamoiotatá”, o Governo do Amazonas, por meio do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), multou em mais de R$ 192 mil uma madeireira que estava funcionando ilegalmente na região sul do estado. A ação ocorreu na terça-feira (27/04), quando policiais militares do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) e os fiscais do meio ambiente localizaram o estabelecimento no município de Manicoré (a 332 quilômetros de Manaus).

A equipe de fiscalização teve acesso ao local por meio de uma denúncia da Polícia Federal. De acordo com informações do Batalhão Ambiental, a madeireira fica na zona rural de Manicoré. O analista ambiental do Ipaam, Isaías Pereira, informou que a madeireira se encontrava sem as licenças ambientais necessárias para o funcionamento.

 

“Ao receber a denúncia, nos encaminhamos imediatamente ao local e constatamos que a empresa não tinha as devidas licenças para a operação da atividade, por essa razão a empresa foi multada no valor de R$ 100 mil”, explicou o analista.

 

O sargento do Batalhão Ambiental, Dirlei Alfaia, declarou que a empresa também tinha um depósito com 266,72 metros cúbicos (m3) de madeira em tora, e 41,04 m3 de madeira serrada. “Com mais estas irregularidades encontradas, a empresa foi multada com mais de R$ 92 mil. O valor total da multa é de R$ 192.328 mil”, finalizou Pereira.

 

Operação Tamoiotatá - Por meio da “Tamoiotatá”, as equipes de fiscalização, coordenadas pelo Ipaam, estão em campo desde 1º de abril. A proposta é atuar previamente contra o desmatamento, para diminuir a quantidade de áreas prontas para a queima no período de estiagem, no segundo semestre do ano. A área prioritária de atuação tem sido o sul do Amazonas, que concentra a maior quantidade de crimes ambientais do gênero.

 

Além do Batalhão Ambiental e do Ipaam, a ação interinstitucional do Governo do Amazonas conta com a atuação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), bem como da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do Amazonas.

Sobe Catracas

DOMINGOS CHALUB, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

TJAM faz história ao ficar acima da 'média Brasil', em relação às Metas Nacionais do CNJ no ano de 2020

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru (AM)

MP/AM abriu um inquérito contra a Prefeitura para investigar suposta apropriação dos valores do Fundo Previdenciário Municipal