Terça, 18 de maio de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 09/04/2021

Secretário de Obras de Rio Preto e vereador de Manaus alvos da operação da PF

O secretário Izael Carvalho Araújo e o ex- superintendente do Incra e vereador de Manaus, Sandro Maia, empresário e servidores da Prefeitura de Rio Preto da Eva na lista da operação sobre obras de ramais de RPE

 Secretário de Obras de Rio Preto e vereador de Manaus alvos da operação da PF  Secretário de Obras de RPE, Izael Carvalho Araújo, vereador de RPE,Jean Felix, ex- superintendente do Incra e vereador de Manaus, Sandro Maia

DEAMAZÔNIA RIO PRETO DA EVA, AM - O secretário de Obras de Rio Preto da Eva, Izael Carvalho Araújo e o ex-superintendente do Incra e atual vereador de Manaus, Sandro Maia foram alvos da operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta quinta-feira (8/4). 

 

Também foram alvos o empresário Gilson de Oliveira Passos Junior, controlador das empresas MRP Excelso Serviços e Construções e Cepa Construções e Poços Ltda e três servidores da Prefeitura de Rio Preto. 

 

Por ordem da 4a Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas, a PF cumpriu sete mandados judiciais de busca e apreensão, dos quais cinco em Manaus, um em Rio Preto da Eva e um na cidade de Recife (PE).

 

Durante a operação, os policiais federais foram até a casa do secretário de Infraestrutura de Rio Preto. Izael Carvalho. 

Agentes federais na residência do secretário de Obras, Izael Carvalho, em Rio Preto da Eva

 

Em entrevista ao site Norte de Notícias, o vereador Sandro Maia negou as acusações. Em Nota a Prefeitura de Rio Preto da Eva informa que o prefeito Anderson Sousa não é alvo das investigações e que e o município se colocou a disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários. 

 

OPERAÇÃO INVIO______

 A Operação Invio da Polícia Federal, contou com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), com o objetivo de investigar fatos relacionados a possíveis práticas dos crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro em convênio firmado entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA e a Prefeitura Municipal de Rio Preto da Eva.

 

O contrato foi celebrado para realização de obras de recuperação de ramais de acesso (estradas) às comunidades rurais do município, nos anos de 2017 e 2018.

 

Segundo a PF, auditores observaram, durante a fiscalização realizada no exercício de 2018, que dos R$ 17 milhões transferidos para as duas empresas contratadas pelo município, havia um prejuízo potencial de R$ 4,8 milhões decorrentes de serviços não realizados, bem como irregularidades e superfaturamento nas suas contratações.

  

ENTENDA O CASO

Segundo as investigações da Polícia Federal, há indícios de direcionamento nos processos de dispensa de licitação realizados pela Prefeitura Municipal de Rio Preto da Eva, que culminou na contratação das empresas alvos desta operação.

 

A Polícia Federal detectou, ainda, a existência de elementos que apontam para superfaturamento nos serviços pagos pela Secretaria de Obras de Rio Preto da Eva, com recursos federais oriundos do INCRA, consistente no pagamento integral por serviços apenas parcialmente prestados ou até mesmo não executados.

 

O prejuízo ao Erário causado pelos investigados, em razão do pagamento por serviços não executados, inacabados ou de péssima qualidade, alcança o valor de mais de R$ 4 milhões.

 

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 30 anos de prisão.

 

O nome da Operação ÍNVIO faz alusão ao fato de os ramais de acesso (estradas) às comunidades rurais estarem intransitáveis.

 

 

Sobe Catracas

DOMINGOS CHALUB, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

TJAM faz história ao ficar acima da 'média Brasil', em relação às Metas Nacionais do CNJ no ano de 2020

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru (AM)

MP/AM abriu um inquérito contra a Prefeitura para investigar suposta apropriação dos valores do Fundo Previdenciário Municipal