Terça, 18 de maio de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/09/2016

Comitê que combate caixa 2 no AM pressiona bancada para cassar Cunha

Comitê que combate caixa 2 no AM pressiona bancada para cassar Cunha

O Comitê do Amazonas de Combate ao caixa dois nas eleições pressiona os parlamentares amazonenses a votarem pela cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Numa consulta feita pelo site Congresso em Foco somente dois deputados do Am disseram que estarão na sessão de julgamento.

 

Cunha será julgado nesta segunda feira (12) e poderá perder o mandato.

 

O ex-presidente da Câmara responde a processo de cassação por quebra de decoro parlamentar sob a acusação de ter mentido à CPI da Petrobras, em março do ano passado, sobre a existência de contas correntes na Suíça em seu nome. A previsão é de que os deputados analisem o pedido de cassação de Cunha na próxima segunda-feira (12).

 

Além do processo de cassação na Câmara, o deputado do PMDB é réu em duas ações penais no STF. A Procuradoria Geral da República (PGR) afirma que ele usou contas no exterior para lavar dinheiro desviado da Petrobras.

 

VEJA NA ÍNTEGRA A CARTA DO COMITÊ DO AMAZONAS ENVIADA A BANCADA AMAZONENSE CONGRESSO

 

COMITÊ ESTADUAL DE COMBATE AO CAIXA DOIS NAS ELEIÇÕES NOTA DIRECIONADA AOS PARLAMENTARES DO AMAZONAS PARA QUE ESTEJAM PRESENTES NO DIA 12 E VOTEM PELA CASSAÇÃO DO DEPUTADO EDUARDO CUNHA - PMDB/RJ.

 

Excelentíssimos senhore(a)s Deputado(a)s Federais, eleitos pelo voto soberano do povo do Amazonas, Talvez nunca a sociedade brasileira, pelo menos desde a redemocratização do Brasil, inaugurada com a chamada Constituição Cidadã de 1988, tenha demonstrado tamanha insatisfação com a classe política e com a qualidade de seus representantes.

 

É recorrente nos noticiários o envolvimento de políticos em casos de corrupção, desvio de dinheiro público, compra de apoio político mediante o pagamento de propinas disfarçadas de doações eleitorais, como bem vem elucidando a Operação Lava Jato, em suas diversas fases. Nesta quadra da história, um caso chama atenção: o ex-presidente da Câmara dos Deputados, o Sr. Eduardo Cunha, responde naquela casa legislativa a processo por quebra de decoro parlamentar por ter negado possuir contas no exterior, em depoimento à CPI da Petrobrás, no ano passado.

 

Segundo o Relatório do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, há provas mais que suficientes para cassar o mandato do parlamentar: ficou evidenciado que ele abriu contas secretas na Suíça (um paraíso fiscal), em nome de seus familiares e empresas, tendo sempre o controle dessas contas. A origem do dinheiro: segundo o Ministério Público Federal - MPF, trata-se de propina e desvio de dinheiro da Petrobrás. Além disso, o Sr. Eduardo Cunha é alvo de investigações no Supremo Tribunal Federal, além de ser réu em duas ações penais também no STF (por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas) e responder a processo por ato de improbidade administrativa. No entanto, embora a acusação por quebra de decoro parlamentar contra o ex-presidente da Câmara seja contundente, há o risco concreto de que a sessão que decidirá a sorte do Sr. Eduardo Cunha seja esvaziada, pela ausência dos deputados federais. Para que seja cassado o mandato parlamentar, é necessário o voto de pelo menos 257 congressistas.

 

Não há razões para que Vossas Excelências faltem à sessão e se posicionem perante o eleitorado amazonense. Nem mesmo a alegação de eventuais compromissos com eleições municipais servirá de justificativa. Importante salientar que o site Congresso em Foco lançou uma consulta a todos os 513 deputados federais, fazendo o seguinte questionamento:

 

“Senhor(a) Deputado(a), O Congresso em Foco pode confirmar o seu comparecimento na sessão deliberativa da Câmara dos Deputados marcada para as 12 horas do próximo dia 12 de setembro, na qual será julgado o processo de cassação do deputado Eduardo Cunha?”

 

Dessa consulta, verifica-se que dos 08 (oito) deputado(a)s federais do Amazonas, apenas 2 (dois) confirmaram a presença na sessão do dia 12/set/2016. Isso é preocupante. A bancada do Amazonas não pode se omitir em decidir esta relevante questão. O povo do Amazonas, cansado da corrupção em todos os níveis que permeiam os noticiários, exige, no mínimo, o comparecimento de todos os seus congressistas na referida sessão e, além disso, que Vossas Excelências se posicionem, esclareçam à população como decidirão o destino do deputado Eduardo Cunha.

 

 Lembrem-se: peca-se por ação ou por omissão, e a ausência na sessão do dia 12 favorece o Sr. Eduardo Cunha. A sociedade brasileira vive novos tempos: espera-se que a tolerância com a corrupção e com malfeitos por parte da combalida classe política tornem-se coisas do passado. É tempo de mudar, quebrar paradigmas, rever nossos conceitos. Senhor deputado, senhora deputada, Honrem o voto depositado pelo povo do Amazonas em Vossas Excelências: compareçam à sessão do dia 12, e votem pela cassação de Eduardo Cunha!

 

Subscrevem a presente nota os cidadãos e representantes das entidades abaixo relacionados: ALECSSANDRO MELO MEDEIROS – professor da Ufam, representante do MCCPIN – Movimento do Combate à Corrupção Eleitoral de Parintins

CARLOS SANTIAGO - advogado, cientista social, representante da OAB-AM do Movimento de Combate ao Caixa 2 Eleitoral.

FLÁVIO MOTA MORAIS SILVEIRA – Promotor de Justiça e Eleitoral de Parintins-AM 

MANOEL JÚNIOR – Presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Amazonas – CRC/AM

LUCIANO SANTOS – Coordenador nacional do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral - Mcce

WILSON REIS - Presidente do Sindicato dos Jornalistas Professionais do Estado do Amazonas.

ACÁCIO CARNEIRO -Presidente do Sindicato dos Petroleiros do Amazonas - Sindpetro

DENISE KASSAMA - conselheira do Conselho Federal de Economia

PATRÍCIA GIL CABRAL - Conselho de Leigos e Leigas da Arquidiocese de Manaus.

MÁRCIO ARAÚJO- Advogado tributarista e vice-presidente da Comissão de Ética e Reforma Política da OABAM

ISIS TAVARES - Presidenta da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

MERSON QUEIROS - Presidente do Sindicato dos Fazendários do AM ( Sigam)

LINDONEIDE LIMA –Presidente do Sindicato das Assistente Sociais do AM

RUI MARCELO – Membro do Ministério Público de Contas – MPC e professor universitário

Tags:

Sobe Catracas

DOMINGOS CHALUB, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

TJAM faz história ao ficar acima da 'média Brasil', em relação às Metas Nacionais do CNJ no ano de 2020

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru (AM)

MP/AM abriu um inquérito contra a Prefeitura para investigar suposta apropriação dos valores do Fundo Previdenciário Municipal